Ocorreu um erro neste gadget
0

Altostratus





As Altostratus são camadas médias de nuvens cinzentas, de aspecto fibroso e sem características especiais e que se estendem normalmente por vários quilómetros quadrados. Costumam ser compostas por gotículas de água e cristais de gelo, e deixar ver a posição do Sol ou da Lua, que ficam com um aspecto vidrado. As Altostratus podem causar uma "coroa" branca (quando é muito fina) ou colorida (disco de luz) em volta do Sol e da Lua.

Situam-se, geralmente, entre os 2000 e os 7000m.

Formam-se em todo o mundo, mais vulgarmente nas latitudes médias. A precipitação chegada ao solo não é, normalmente, nenhuma, embora possam causar chuva ou neve ligeira.

Este tipo de nuvens não apresenta qualquer espécie de Altostratus. Estas nuvens podem apresentar 5 variedades: Opacus (quando a camada de nuvem é tão grossa que tapa o sol ou a lua); Translucidus (quando é suficiente fina para podermos ver os contornos do sol ou da lua); Duplicatus (quando há mais do que uma camada a diferentes altitudes, muitas vezes unidas, ou seja, isto só se vê com a luz baixa do sol, em que a camada superior fica iluminada e a inferior na sombra, ou quando os ventos em tesoura alteram as estrias das diferentes camadas); Undulatus (quando os elementos se mostram quase paralelos); Radiatus (quando as ondulações parecem convergir em comprimento para o horizonte).

0

Altocumulus



As Altocumulus são nuvens médias de camadas ou farrapos de pequenas nuvens, de forma arredondada. Podem apresentar-se de cor branca ou cinzenta e sombreadas nas zonas afastadas do Sol. São normalmente constituídas por gotículas, mas também podem conter cristais de gelo.

Situam-se, geralmente, entre os 200 e os 5500m.

Formam-se em todo o mundo. A precipitação chegada ao solo é rara mas podem causar chuva ligeira.

Este tipo de nuvens subdivide-se, geralmente, em 4 espécies: Stratiformis (a mais comum, quando as pequenas nuvens se espalham numa vasta área); Lenticularis (quando aparece como uma ou mais massas densas que parecem "amêndoas" ou "lentes", com sombras pronunciadas); Castellanus (quando as pequenas nuvens têm cristas como torres) e Floccus (quando as pequenas nuvens são tufos de cumulus, com bases esfarrapadas, muitas vezes com traços fibrosos (virga) de cristais de gelo que caem mais abaixo). As Altocumulus podem apresentar 7 variedades: Opacus (quando a camada de nuvem é tão grossa que tapa o sol ou a lua); Translucidus (quando é suficiente fina para podermos ver os contornos do sol ou da lua); Perlucidus (quando existem intervalos entre as nuvens); Duplicatus (quando há camadas a diferentes altitudes, por vezes parcialmente unidas); Undulatus (quando os elementos se mostram quase paralelos); Radiatus (quando as linhas dos elementos parecem convergir para o horizonte) e Lacunosus (quando a camada tem buracos grandes como uma rede, com farrapos de nuvens).


Fonte: Pretor-Pinney, Gavin (2007) – “O mundo das Nuvens – História, Ciência e Cultura das Nuvens”, Estrela Polar, 1ª Edição

0

Tabela de Nuvens - Mês de Janeiro de 2009

Veja a tabela aqui.
0

Tabela de Nuvens - Mês de Dezembro de 2008

Veja a tabela aqui.
0

NUVENS MÉDIAS - Nimbostratus




As Nimbostratus são camadas cinzentas, grossas. Costumam ter bases muito difusas devido à precipitação.Situam-se, geralmente, entre os 600 e os 5500m de altura e podem abranger uma área de várias centenas de quilómetros quadrados. Formam-se em todo o mundo, mais vulgarmente nas latitudes médias. A precipitação chegada ao solo a partir destas nuvens vem sobre a forma de chuva moderada a intensa, ou neve (constante e prolongada). Segundo algumas fontes existem espécies de nimbostratus não sendo, no entanto, algo aceite por todos.


Fonte: Pretor-Pinney, Gavin (2007) – “O mundo das Nuvens – História, Ciência e Cultura das Nuvens”, Estrela Polar, 1ª Edição

0

Stratocumulus




As Stratocumulus são camadas baixas de farrapos de nuvens, com bases bem definidas. Normalmente, são compostas por formas arredondadas ou cilíndricas, com fortes variações de tonalidade, desde o branco-brilhante ao cinzento-escuro. Os elementos da nuvem agrupam-se em camadas contínuas, que deixam ver o céu nos seus intervalos. Estas nuvens aparecem, geralmente, entre os 600 e os 2000m, formando-se em todo o mundo, visto ser uma nuvem muito vulgar. A precipitação, chegada ao solo, é geralmente composta por chuviscos ou neve ocasionais.
Este tipo de nuvem subdivide-se em três espécies: Stratiformis (quando apresenta formas redondas ou cilíndricas (semelhante a um grande tubo individual) que se estendem por uma vasta área); Lenticularis (quando uma ou mais massas nebulosas têm a forma suave e sólida de uma amêndoa ou lente) e Castellanus (quando os elementos apresentam topos como ameias (tal como nas torres dos castelos). As Stratocumulus apresentam sete variedades: Opacus (quando a camada é tão grossa que tapa completamente o sol ou a lua); Translucidus (quando é suficientemente fina para podermos ver os contornos do sol ou da lua); Perlucidus (quando existem intervalos entre as nuvens); Duplicatus (quando há camadas a diferentes altitudes, por vezes parcialmente unidas); Undulatus (quando os elementos se mostram quase paralelos); Radiatus (quando as linhas dos elementos parecem convergir para o horizonte) e Lacunosus (quando a camada tem buracos grandes como uma rede, com farrapos de nuvens).


Fonte: Pretor-Pinney, Gavin (2007) – “O mundo das Nuvens – História, Ciência e Cultura das Nuvens”, Estrela Polar, 1ª Edição


0

Stratus



As Stratus são camadas muito cinzentas, ou pedaços de nuvem sem contornos muito definidos. São a forma mais baixa de todos os tipos de nuvem, por vezes surgindo junto ao solo, chamando-se então neblina ou nevoeiro. Estas nuvens aparecem, geralmente, entre os 0 e os 2000m de altitude, formando-se em todo o mundo, mas mais vulgarmente, junto à costa e nas montanhas. A precipitação, chegada ao solo, não é mais do que chuva fina, neve ou flocos de neve.
Este tipo de nuvens subdivide-se em duas espécies: Nebulosus (quando se encontra uma camada cinzenta, geralmente sem características especiais) e Fractus (quando à rasgos separados da nuvem cinzenta). As Stratus podem apresentar três variedades: Opacus (quando a camada de nuvem é tão grossa que tapa o sol ou a lua); Translucidus (quando é suficientemente fina para podermos ver os contornos do sol ou da lua) e Undulatus (uma variedade rara, em que a camada mostra ondulações à superfície).


Fonte: Pretor-Pinney, Gavin (2007) – “O mundo das Nuvens – História, Ciência e Cultura das Nuvens”, Estrela Polar, 1ª Edição


0

Cumulonimbus




As Cumulonimbus são nuvens de trovoada, caracterizadas pela sua enorme altura. Normalmente, são suficientemente altas para atingir o topo da troposfera, onde se espalham em pedaços de partículas de gelo de aspecto macio, fibroso ou estriado. Tem bases escuras e produzem aguaceiros fortes, muitas vezes de granizo, que podem vir acompanhados de raios e trovões.
Situam-se entre os 600 e os 13000m de altura. Formam-se, geralmente, nos trópicos e zonas temperadas, sendo raras nas zonas polares. A precipitação, chagada ao solo, vem em forma de aguaceiros intensos, muitas vezes granizo.
Este tipo de nuvens subdivide-se em duas espécies: Calvus (quando o topo é formado distintamente por montes chatos, sem uma aparência fibrosa ou estriada) e Capillatus (quando o topo parece um cirro fibroso ou estriado, frequentemente com forma de uma bigorna, coluna ou uma massa desordenada de cabelos brancos). Não existem quaisquer variedades de Cumulonimbus.


Fonte: Pretor-Pinney, Gavin (2007) – “O mundo das Nuvens – História, Ciência e Cultura das Nuvens”, Estrela Polar, 1ª Edição

A todos os nossos visitantes !!

A partir de agora já podem ver as observações de nuvens feitas nos meses de Dezembro de 2008 e Janeiro e Fevereiro de 2009 !
Esperamos que se divirtam tanto como nós nesta viagem que é a descoberta de nuvens ! :).
Não queremos desiludir os nossos visitantes, por isso vamos continuar a postar mais informações sobre este "novo mundo". :).
Acompanhem-nos ...

:)